23/09/2015

Quarta

 Para pular todas aquelas partes chatas, fui para escola e fiquei lá na praça quando chegou o recreio. Eu nunca citei isso, mas o quintal de minha escola é incrível, muito bem enfeitado, grande... Não me impressiona ser uma das melhores escolas da cidade, mas enfim.

 Andando por aí na praça, conversei com um amigo sobre a prova e tudo mais. Percebi que ele queria colar dos outros, na verdade, a maioria cola. Não entendo o motivo de quererem se arriscar taaaanto assim, mas né. Ele me contou seu plano de colar, disse que ia sentar bem lá no fundo e dar a desculpa que deixou cair o lápis para depois olhar a prova dos outros, mas já que a sala era grande, ele teria que se esforçar para fazer uma coisa dessas. "Assisti" seu plano, gabaritei aquela prova, tanto que mais tarde a professora falou que tirei uma das maiores notas da turma, quem não ficaria feliz com isso? Voltando, meu amigo se deu mal, perceberam na segunda ou quarta tentativa dele, e no final, tirou um belo de um zero. "Não faz mal" disse ele "Vou colar na recuperação". Falei para ele estudar, tentei por uns 20 minutos e consegui convencê-lo. Nada de interessante aconteceu na aula depois de tudo, exceto que uns garotos grandões vieram falar comigo, respondi curto e grosso, não queria conversa agora, na hora estava meio nervoso, o tempo passava tão devagar...

 Sai da escola, no caminho pensei ter visto um conhecido do Centro Integrado, espero não ter me enganado sobre isso, só lembro de seu rosto, não seu nome, e se meu irmão tivesse sentado perto de mim, teria percebido que ele deu um tchau, contribui esse "tchau".

 Em casa, fiquei pensando em idéias para postar no blog, "Talvez comentar sobre As Crônicas de Nárnia? Ou Enigmas da Humanidade? Seria interessante...". No fim, estou aqui postando no blog, me preparando para dormir, esperando pelo outro dia que vou lavar o banheiro e fazer tarefas domésticas. "Espero que essa noite não termine nunca".

7/10

Nenhum comentário:

Postar um comentário