04/08/2016

O que é Arte?

  Hoje à tarde, estava lavando a louça, todo animado. Cantava uma música que gravei em minha cabeça, para livrar-se do tédio que era lavar aquela montanha. Mas, de súbito, um pensamento vagueou pela cabeça como um raio: "O que é arte? É simplesmente desenhar, atuar, escrever?" Não perdi tempo. Terminei rapidamente e fui pesquisar na internet.

  Mas, ao pesquisar, me encontro com um tópico interessante à primeira vista: Como fazer arte. Franzi o cenho, estranhado. Como assim "como"? Para arte, não havia receita. Arte é emoção, paixão, dedicação.

  O blog explicou uma rotina. 30 à 50 minutos desenhando por dia; ser paciente; começar pegando mais leve, para depois adornar o desenho com mais detalhes. Toda uma rotina, como um passo a passo. "Um absurdo", pensava. Sei que você, leitor, pode não estar convencido. "Uma criança como você dando lição de moral? Ah, vai brincar de amarelinha. Vai jogar bola". Vivenciei isto de perto. Pensei. Refleti. Fiz analogias. E cheguei à uma conclusão:

  Arte não é nada mais nada menos que pura emoção. Darei um exemplo:

  Há dois pintores talentosos. Um almeja o sucesso. Outro, a realização. Um sonha com fama, riqueza e admiração. Outro, almeja o prazer que a arte de criar proporciona; pintar; não com uma imagem na mente tentando reproduzir, mas sim, com a intuição, sem nada planejar, apenas sendo guiado pelas mãos peculiares dos sentimentos; seja de raiva; seja de alegria; seja de tristeza.

Mas e o outro pintor?

  Este pintará, planejará, pensará. Transformará a imagem dentro de sua cabeça no papel!! Com muita dedicação, ele criará pinturas como ninguém!! Adornada de detalhes minuciosos, quase reais, se este for seu objetivo. Terá fama, terá riqueza, terá admiração. Afinal, ele é um artista. Ele ama a arte. Sempre amou.

Mas e o outro?

  Este talvez não consiga tudo isso. Talvez fique na pobreza; para sempre. Talvez não tenha um respingo de admiração por parte de outros, por sua arte ser diferente, estranha, exótica. Talvez ele esteja perdendo tempo, visto que não olham-no convencidos.

Não confunda arte com paixão.

  O vedadeiro artista nunca quer ter. Ele é. Todos no mundo inteiro podem se virar contra ele, mas nada o influenciará. Pois este é seu modo de se expressar.
Detém um amor profundo diante da mesma. É como sua segunda esposa; seu segundo filho; sua verdadeira amiga.

  O verdadeiro artista não tem medo das críticas da sociedade que vivemos. Pelo contrário; ele molda-a. Ela cria. Ele faz acontecer.

  O verdadeiro artista é louco. É diferente. É perigoso. Pelo simples motivo de ser. Compromete o mundo inteiro diante de sua criação.

Ele é egoísta. Ele é inconfundível. Ele não têm fim.

Mas, e o outro?

  Este achará difícil de compreender, senão impossível.

                                                                         

 






Nenhum comentário:

Postar um comentário