05/08/2016

Passagem

  O vento soprava forte na madrugada desta noite. O cheiro, típico das ruas de Maladry, capital do Reino, era de esgoto; um odor forte de matar insetos. Lune, todavia, olhava à toda volta o bairro deserto, desejando imensamente voltar para casa. Oh, se desejava.

  Volta e meia, começou a andar mais rápido, amedrontado com o súbito cessar da canção dos grilos. Uma sensação de impotência o levou a questionar se tudo isso valia mesmo a pena. Parou. Ainda podia voltar. Não era tarde demais, afinal. Tinha a chance de ser um cara normal, com uma garota normal e ter uma família como toda pessoa normal. 

  Não queria isso, no entanto.

  Continuou, encontrou e se apoderou do poder dado à Lune.

  Até que imaginou:

  "Arriscado demais"

Nenhum comentário:

Postar um comentário