12/09/2016

Mudanças

  Já pensaste antes em como a vida segue? Um permeio de pessoas; ônibus, escola, trabalho... Assim passou Kevin, com o tremer e balançar do transporte cilíndrico como companhia especial, num assento quase confortável demais. Isso se a maldita coisa não fosse dura como pedra.

  Tão logo que subiu, já descia do ônibus calorosamente entediante. Poderia pensar que seus dias se resumiam basicamente à isso: acordar, trabalhar, dormir. Sem contar, claro, as raras exceções que o destino diluia uma vez por mês.

  Não. Hoje seria diferente. Faria tudo que quisesse; gritaria, dançaria, pularia de alegria, reclamaria com o chefe; seria plenamente feliz usufruindo o gostinho da liberdade que a vida proporcionara antes da sociedade manipulá-lo com propagandas, notícias e situações apaziguadoras, muitas vezes, encorajadoras. Estava cansado daquilo tudo; isso era mais que evidente. Pra quê esperar? Então, em vez de descer as escadas do transporte público, como todos fazem, pulou. Um pequeno salto; uma grande sensação. Rapidamente duas ou três pessoas dirigiram olhares estranhados para Kevin, que nada se importou. Tudo estava aí!! Como demoraste tanto tempo para perceber!?

  Enquanto andava, varria num olhar aglomerados de pessoas, todas infelizes, algumas tristes, outras em carrancas... A visão era de embrulhar o estômago. Então, desatou à sorrir: peito estufado, colina erguida e sorriso no rosto. Uma luz diante aquele mar de seriedade avassaladora. Chegou do trabalho gritando ''Bom Dia!!'' em alto e bom som, acarretando mais olhares arregalados num momento; no outro, sorrisos de satisfação e balançares cabeçais, pensando: ''Que maluco!''

  Terminou o dia raiando a mesma expressão magnética; consagrando-se interminavelmente sua postura inexpugnável. Àquele, sem dúvidas, era só o começo do que via pela frente.